Como falar bem em público /ThinkStock

Como falar bem em público /ThinkStock

Falar bem se tornou condição essencial para vencer na carreira e ocupar um espaço de destaque nas empresas. Mas muitas mulheres sentem medo de falar em público. Dá aquele frio na barriga, as mãos suam e, na hora de abrir a boca as palavras saem aos tropeços. E lá se vai aquela apresentação para impressionar o chefe ou o público. Calma. Falar em público não é um bicho de sete cabeças.

"Há 20 anos, o número de mulheres não chegava a 5% dos alunos do nosso Curso de Expressão Verbal. Hoje, elas são maioria em quase todas as turmas. Não só são maioria como chegaram à tribuna com beleza, garra e muita sensibilidade", afirma o Mestre em Ciências da Comunicação, professor de oratória e escritor Reinaldo Polito, autor de mais de 20 livros, entre eles, "Superdicas para falar em conversas e apresentações".

Você está preparada para falar bem em público? Confira 7 dicas preparadas especialmente por Reinaldo Polito para você melhorar sua comunicação e conquistar seu merecido espaço no trabalho.

1 - Não caia na vulgaridade. Vulgaridade não fica bem para nenhuma pessoa, principalmente para as mulheres. Se um palavrão fora de hora e excesso de gírias arrebentam com a imagem dos homens, para as mulheres o efeito é ainda mais devastador.

"Uma de minhas alunas, executiva de grande projeção, me contou que depois de ser aprovada num processo de seleção em uma multinacional caiu na última entrevista com a grande chefe. Em conversa descontraída se sentiu à vontade para soltar alguns palavrões. Foi com perplexidade que ouviu a sentença: você é muito bem preparada e poderia fazer um excelente trabalho na nossa empresa, mas seu perfil não combina conosco", observa Polito. Portanto, cuidado com o vocabulário!

2 - Use bem o volume da voz. Há boa diferença entre o aparelho fonador das mulheres e dos homens. Pelo fato de a laringe nas mulheres ser mais curta e produzir mais tensão na prega vocal, a voz feminina quase sempre é mais fina que a dos homens. Por isso, cuidado com o volume da voz.

Fale com firmeza, demonstre personalidade na voz, mas evite gritar. Por ser mulher, provavelmente, você tem a voz mais fina e se gritar poderá produzir sons estridentes e até irritantes. Avalie bem o ambiente e use um volume de voz que possa ser ouvido por todas as pessoas. Falar um pouco mais alto para demonstrar envolvimento e a importância do assunto pode ser uma boa atitude, mas tome cuidado com o exagero.

3 - Use gestos moderados. Não gesticular e ficar com os braços amarrados pode ser negativo para o resultado da comunicação, mas excesso de gestos pode ser ainda pior. Procure fazer gestos moderados que acompanhem bem o ritmo e a cadência da fala. Você não é obrigada a gesticular o tempo todo. Há momentos em que o jogo fisionômico e leves movimentos da cabeça complementam bem a mensagem sem necessidade dos gestos.

4 - Evite movimentos desnecessários. Se você se movimentar na frente do grupo com objetivo e finalidade definida como, por exemplo, dar ênfase às informações ou recuperar a atenção de quem estiver desatento, poderá manter o interesse das pessoas por tempo mais prolongado e recuperar a concentração dos ouvintes. Por outro lado, se você se movimentar sem saber por que se movimenta poderá demonstrar desconforto e falta de domínio da apresentação e até comprometer sua credibilidade.

5 - Fale só o necessário. As mulheres têm fama de falar muito. Pesquisas demonstraram que realmente as mulheres falam mais que os homens. Em média, a mulher usa de seis a oito mil palavras por dia, enquanto que os homens usam de duas a quatro mil. Essa característica da comunicação feminina pode dar margens a preconceito e provocar resistências.

É evidente que cada assunto deve ser tratado com a profundidade devida. Há temas tão importantes que consomem várias reuniões para serem esgotados. Não perca de vista, entretanto, a objetividade. Falar com objetividade, todavia, não significa necessariamente falar pouco. De que adianta você falar apenas dois minutos se não transmitir as informações que precisa e não atingir seus objetivos? Falar com objetividade significa falar tudo o que for preciso, atingindo os objetivos pretendidos no menor tempo possível.

6 - Tenha começo, meio e fim. Um dos erros mais comuns na comunicação é não ter sequência lógica do raciocínio. Por isso, tenha começo, meio e fim. Inicie cumprimentando e fazendo agradecimentos. Em seguida revele o tema que irá expor e o problema que pretende solucionar. Transmita sua mensagem mostrando a solução do problema com argumentos baseados em exemplos, comparações e estatísticas. Defenda seu ponto de vista das possíveis objeções dos ouvintes. Encerre pedindo que reflitam ou ajam de acordo com sua proposta.

7 - Aprenda a contar histórias. Houve época em que as mulheres só se preocupavam em contar histórias para os filhos dormirem. Hoje o objetivo mudou. E muito. Saber contar histórias curtas, divertidas e interessantes é fundamental para ilustrar e tornar mais clara a mensagem, conquistar a atenção da plateia logo no início, reconquistar e ampliar a concentração do público e tornar as conversas mais envolventes e interessantes. Tenha o hábito de colecionar boas histórias. Se forem curtas e atraentes poderão ser úteis em muitas ocasiões.